A QUÍMICA NA REMOÇÃO DO PETRÓLEO – PROF. FERNANDO LEITE

A QUÍMICA NA REMOÇÃO DO PETRÓLEO – PROF. FERNANDO LEITE

(ENEM 2015) Um grupo de pesquisadores desenvolveu um método simples, barato e eficaz de remoção de petróleo contaminante na água, que utiliza um plástico produzido a partir do líquido da castanha-de-caju (LCC). A composição química do LCC é muito parecida com a do petróleo e suas moléculas, por suas características, interagem formando agregados com o petróleo. Para retirar os agregados da água, os pesquisadores misturam ao LCC nanopartículas magnéticas.

KIFFER, D. Novo método para remoção de petróleo usa óleo de mamona e castanha-de-caju. Disponível em: www.faperj.br. Acesso em: 31 jul. 2012 (adaptado).

Essa técnica considera dois processos de separação de misturas, sendo eles, respectivamente,

  1. A) flotação e decantação.
  2. B) decomposição e centrifugação.
  3. C) floculação e separação magnética.
  4. D) destilação fracionada e peneiração.
  5. E) dissolução fracionada e magnetização.

Resposta correta: alternativa C.

Comentários:

 

O texto da questão deixa claro que as moléculas do LCC, por terem composição parecida com a do petróleo, formam agregados na mistura. Este processo é denominado floculação, uma vez que os agregados ou flocos formados são facilmente separados da mistura, devido a formação de partículas maiores. É importante lembrar que a floculação é uma etapa do processo de tratamento de água, em que, após adicionar coagulantes como, por exemplo, Al2(SO4)3 (sulfato de alumínio) ou FeCl3 (cloreto férrico), em meio básico, as partículas em suspensão se tornam pequenos flocos, decantando em seguida.

Para retirar os agregados (LCC–petróleo) da água, os pesquisadores misturam ao LCC nanopartículas magnéticas, caracterizando o processo de separação de mistura conhecido como imantação ou separação magnética. Dessa forma, é possível separar materiais que são atraídos por imãs daqueles que não são. Limalha de ferro e serragem, por exemplo, podem ser assim separados.

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp

Todos os Direitos Reservados a Cenas Pré-Vestibulares e Concursos

CURA DA AIDS – PROF. PEDRO VARGAS

CURA DA AIDS – PROF. PEDRO VARGAS

Cientistas americanos na universidade de Temple conseguiram pela primeira vez remover o vírus HIV, causador da Aids, do corpo de um camundongo cobaia utilizando uma técnica conhecida como CRISPR/Cas9.

Em que se baseia essa técnica?

Essa técnica se baseia no reconhecimento genético de uma molécula de RNA a um DNA específico, dessa forma, a molécula de RNA ligada ao DNA passa a funcionar como um marcador, no qual uma enzima, chamada Cas9, remove a parte do DNA marcado.

Esse reconhecimento ocorre graças à semelhança entre as bases nitrogenadas permitindo uma interação entre elas. Na pesquisa realizada, os cientistas removeram a parte do material genético do vírus HIV-1 do interior dos linfócitos. Lembrando que o vírus HIV perpetua o seu ciclo reprodutivo no interior das células de defesa do nosso corpo. Ao remover o DNA do vírus do interior das células do hospedeiro, essas células passaram a ser imunes a uma possível reinfecção.

De onde surgiu a ideia para essa técnica CRISPR/Cas9?

As bactérias possuem um sistema muito semelhante no qual elas utilizam bases nitrogenadas em repetições para indicar onde se encontra o seu verdadeiro material genético, ao serem infectadas por um vírus, essas sequencias passam a não ser mais as sequencias nas quais a bactéria poderia identificar e ela então utiliza uma outra enzima para remover o DNA do vírus que foi adicionado ao seu material genético.

Com o avanço do entendimento e funcionamento dessa técnica, muitas outras doenças como o câncer, por exemplo, poderão ser removidas do DNA do ser humano caso sejam identificadas com antecedência.

Vale lembrar também que a técnica é mais barata que os tratamentos convencionais que utilizam reconfigurações genéticas, o que torna ela ainda mais interessante.

Na Inglaterra, o uso da técnica em embriões já está sendo avaliado e possivelmente muitas doenças poderão ser resolvidas com a utilização da CRISPR/Cas9.

Veja o vídeo a seguir, no qual o professor Henrique E. Toma explica com detalhes a nova tecnologia desenvolvida:

https://www.youtube.com/watch?v=I-MmIL0DaaM&feature=youtu.be

Segundo o professor Toma, entre os benefícios do uso desse novo método para obtenção do cobre “está a possibilidade de executar todas as etapas em um único procedimento sequencial, no mesmo reator operando em condições ambientais, dispensando o tradicional uso de extração com solventes orgânicos, tratamentos ácidos e etapas de concentração, além de diminuir a produção de rejeitos”.

No vídeo, é possível observar que o cobre é extraído utilizando-se nanopartículas magnéticas (NPm) reutilizáveis, uma vez que os íons desse metal dissolvidos se ligam às NPm e essas são atraídas para a superfície de um eletrodo sob ação de um ímã.

Nessa perspectiva, percebe-se que grande parte dos alunos acredita ser necessário entender os aspectos gramaticais, preocupando-se em estudar as normas da língua. Contudo, apesar da relevância da gramática, não é o seu domínio que proporcionará, de fato, o aprendizado daquilo que é mais importante: a noção dos indivíduos enquanto seres comunicativos, que utilizam a linguagem, notadamente, para a interação social.

Assim, o Português precisa ser considerado em suas variações, assim como segundo as funções que possui em determinado contexto; é apropriado compreender a gramática apenas como uma aliada na enunciação, que contribuiu para a relação dos sujeitos e produção do saber.

A prova de Linguagens do Enem demonstra que é imperativo estar atento ao conhecimento de mundo, à interpretação dos fatos cotidianos, ao uso da língua como manifestação da voz que será empregada como um dos instrumentos para o exercício da cidadania e para a manifestação cultural.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Todos os Direitos Reservados a Cenas Pré-Vestibulares e Concursos

ATUALIDADES DA QUÍMICA – PROF. FERNANDO LEITE

ATUALIDADES DA QUÍMICA – PROF. FERNANDO LEITE

Recentemente, pesquisadores da Universidade de São Paulo desenvolveram uma nova tecnologia para o processamento de minérios. Eles acreditam que seus estudos poderão revolucionar a mineração, uma vez que os procedimentos para extração de metais, principalmente do cobre, são sustentáveis e menos poluentes. Futuramente, a tecnologia ainda poderá ser empregada na área médica, com a possibilidade de mediar o transporte de drogas pelo nosso organismo.

Veja o vídeo a seguir, no qual o professor Henrique E. Toma explica com detalhes a nova tecnologia desenvolvida:

https://www.youtube.com/watch?v=I-MmIL0DaaM&feature=youtu.be

Segundo o professor Toma, entre os benefícios do uso desse novo método para obtenção do cobre “está a possibilidade de executar todas as etapas em um único procedimento sequencial, no mesmo reator operando em condições ambientais, dispensando o tradicional uso de extração com solventes orgânicos, tratamentos ácidos e etapas de concentração, além de diminuir a produção de rejeitos”.

No vídeo, é possível observar que o cobre é extraído utilizando-se nanopartículas magnéticas (NPm) reutilizáveis, uma vez que os íons desse metal dissolvidos se ligam às NPm e essas são atraídas para a superfície de um eletrodo sob ação de um ímã.

Nessa perspectiva, percebe-se que grande parte dos alunos acredita ser necessário entender os aspectos gramaticais, preocupando-se em estudar as normas da língua. Contudo, apesar da relevância da gramática, não é o seu domínio que proporcionará, de fato, o aprendizado daquilo que é mais importante: a noção dos indivíduos enquanto seres comunicativos, que utilizam a linguagem, notadamente, para a interação social.

Assim, o Português precisa ser considerado em suas variações, assim como segundo as funções que possui em determinado contexto; é apropriado compreender a gramática apenas como uma aliada na enunciação, que contribuiu para a relação dos sujeitos e produção do saber.

A prova de Linguagens do Enem demonstra que é imperativo estar atento ao conhecimento de mundo, à interpretação dos fatos cotidianos, ao uso da língua como manifestação da voz que será empregada como um dos instrumentos para o exercício da cidadania e para a manifestação cultural.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Todos os Direitos Reservados a Cenas Pré-Vestibulares e Concursos